Visitante Nº
3104

Campanha Microvip contra o Bullying

Bullying é a prática de atos violentos, intencionais e repetidos, contra uma pessoa, que podem causar danos físicos e psicológicos às vítimas. O termo surgiu a partir do inglês bully​, palavra que significa tirano, brigão ou valentão, na tradução para o português.

No Brasil, o bullying é traduzido como o ato de bulir, tocar, bater, socar, zombar, tripudiar, ridicularizar, colocar apelidos humilhantes e etc. Essas são as práticas mais comuns do ato de praticar bullying. A violência é praticada por um ou mais indivíduos, com o objetivo de intimidar, humilhar ou agredir fisicamente a vítima.

O bullying geralmente é feito contra alguém que não consegue se defender ou entender os motivos que levam à tal agressão. Normalmente, a vítima teme os agressores, seja por causa da sua aparente superioridade física ou pela intimidação e influência que exercem sobre o meio social em que está inserido.

Para a justiça brasileira, o bullying está enquadrado em infrações previstas no Código Penal, como injúria, difamação e lesão corporal. Ainda não existe uma lei que puna os agressores com o devido merecimento.
Vejamos quais são os oito tipos de bullying:

1. Físico: Violência física como socar, chutar ou bater em um colega repetidas vezes. Este é o bullying mais fácil de idenditicar.
2. Psicológico: Perseguir, amedrontar, aterrorizar, manipular, intimidar, dominar, chantagear o colega de escola.
3. Moral: Difamar, caluniar ou espalhar um boato sobre alguém
4. Verbal: Insultar ou xingar de forma repetitiva ou criar apelidos que humilham os colegas
5. Sexual: Assediar, induzir ou abusar de alguém
6. Social: Ignorar, isolar ou excluir constantemente um colega do convívio social
7. Material: Furtar, roubar ou destruir os pertences de alguém
8. Virtual: Humilhar os colegas pela rede, enviar mensagens que invadem a intimidade, falsificar fotos e dados pessoais provocando sofrimentos e constrangimento.

PARA OS PAIS

Enquanto muitos pais supõem que o bullying nas escolas é um problema que ocorre apenas no ensino médio, o fato é que as escolas e os pais devem tomar medidas para prevenir e acabar com o bullying desde cedo, no jardim da infância e ensino primário. Ao ensinar as crianças sobre o que é bullying e os fatos sobre como e por que é prejudicial, os professores e os pais podem definir bases importantes para acabar com o comportamento (bullying) antes mesmo de começar.


O que os pais podem fazer para prevenir o Bullying
Fique conectado com seu filho. Quanto mais você souber sobre seus amigos e os detalhes sobre seu relacionamento com os colegas, mais fácil será fazer a detecção de qualquer alteração nas interações sociais da criança. Converse com seu filho todos os dias específicamente sobre assuntos relacionados a escola e as atividades do dia, como: com quem a criança tomou seu lanche ou qual foi a pior parte do seu dia. Essa é uma forma importante de estabelecer uma boa comunicação com seu filho para que ele saiba que pode contar com seu apoio quando houver algum problema.


Explique ao seu filho o que é Bullying
As crianças entendem que bater ou empurrar um colega está errado (por isso mesmo vão tentar ser agressivas com as outras crianças quando professores e outros adultos não estiverem olhando). Mas você também pode explicar que outras formas de bullying, como excluir e ignorar alguém, também pode ser prejudicial. Diga para a criança o que fazer caso testemunhe alguma situação de Bullying: Estabelecer e rever periodicamente com seu filho os conceitos básicos sobre o que fazer se encontrar um comportamento prejudicial dirigido a ele ou algum colega. Diga para a criança alertar imediatamente aos professores, pois é uma forma importante de impedir que alguém se machuque.


Ensinar para a criança a importância da Empatia
Uma pesquisa mostrou que as habilidades de inteligência emocional e empatia podem ser mais importantes para o sucesso na vida do que a inteligência intelectual. Uma criança capaz de entender como o outro se sente ao ser intimidado, pode entender e regular suas próprias emoções e se tornar menos propensa a se envolver nesse comportamento.


Dê um bom exemplo
Você tem o hábito de rir de outras pessoas ou falar mal delas na frente do seu filho? Alguma vez você já foi rude ao falar com um garçom no restaurante ou balconista de loja? Mesmo que você ache que seus filhos não estão ouvindo e observando seu comportamento, o fato é que as crianças aprendem muito sobre como se comportar observando seus pais.


Olhe para os sinais de alerta de que seu filho pode ser vítima de Bullying
A criança não quer ir para a escola? Você está observando mudanças de comportamento como agressividade ou problemas emocionais, como ansiedade ou depressão? As crianças podem não querer se abrir com os pais sobre os problemas, mas há sinais que podem ser observados pelos pais se eles suspeitam que seu filho é vítima de bullying na escola. Fale com a escola sobre o que os professores podem fazer e sobre ações para impedir que o bullying aconteça. Você pode dizer aos professores sobre suas preocupações e pedir para que fiquem atentos às interações entre a criança e seus colegas.

PARA OS PROFESSORES

Listamos algumas sugestões do que os professores devem fazer para prevenir o bullying no ambiente escolar...

Programas preventivos
Apesar de muitos professores entenderem a necessidade de prevenir o bullying e os danos causados por essa prática, alguns não sabem exatamente como pará-la. Sem o treinamento adequado com técnicas de prevenção, identificação e ação, eles podem ser incapazes de impedir esse comportamento. Há uma variedade de programas de prevenção ao bullying disponíveis para os professores. Treinamentos de desenvolvimento profissional e métodos de educação continuada ministrados por profissionais da área com conhecimento especializado e experiência podem ajudar professores a dar o primeiro passo no combate ao bullying. Os educadores podem pedir um treinamento sobre o assunto aos administradores da escola ou até em associações de pais e mestres e demonstrar a necessidade do mesmo.


Observação e identificação
É vital que os professores observem e identifiquem comportamentos relacionados ao bullying antes que eles saiam de controle. Isto pode ocorrer durante ou entre as aulas, nos corredores, em salas vazias, no refeitório, durante matérias especiais como educação física, antes ou depois do horário escolar, dentro ou fora de áreas comuns ou no pátio durante o intervalo. Apesar de os professores ficarem ocupados fora de sala de aula corrigindo trabalhos ou planejando aulas, eles devem manter um olho no comportamento dos alunos durante o dia. Se o bullying for visto, o educador deve identificar imediatamente o comportamento e os indivíduos envolvidos.


Envolvimento dos pais
Enquanto os professores podem ser os primeiros a ver o bullying diretamente, eles não são os únicos com a responsabilidade de preveni-lo. Assim como os educadores geralmente precisam de treinamento especializado na identificação e prevenção do problema, os pais também precisam de informação. Os professores que são bem educados no assunto podem ajudar a informar os pais sobre os efeitos negativos dessas práticas através de uma variedade de métodos. Reuniões proporcionam um encontro cara a cara para prevenir o bullying. Os professores podem discutir problemas específicos ou fornecer informação sobre como identificá-lo e impedi-lo. Outra opção é mandar panfletos para casa, criando uma seção semanal de prevenção ao bullying em um boletim informativo da turma ou organizando uma palestra ou debate formal ou informal sobre o assunto.


Falando com os alunos
Um elemento-chave na prevenção do bullying é discutir esse comportamento negativo com os alunos. Seja em sala de aula ou em uma assembleia com a escola toda, é essencial orientar as crianças sobre as consequências desse fenômeno. Os alunos devem entender o que é bullying e que isso pode ser mais do que apenas bater em um colega. Os professores podem mostrar às crianças os diferentes tipo de comportamento, como abuso verbal, insultos e bullying virtual. Também é crucial identificar o que vai acontecer se o responsável pelo bullying foi descoberto. Isso pode incluir um debate sobre as políticas da escola. Algumas têm a política de tolerância zero e podem resultar em suspensão ou até mesmo expulsão. Até crianças da educação infantil devem entender o significado dessas ações e suas consequências, assim como os efeito negativos de longo prazo.

PARA AS VÍTIMAS

Como lidar com o agressor
-Punir não o fará melhor, ou poderá até aumentar a rebeldia. Ele precisa de ajuda, de um trabalho educativo paciente, firme e persistente.
-O acolhimento é necessário, oferecendo ajuda, porém o educador deve deixar claro que reprova o comportamento agressivo e ele deve ser responsabilizado por seus atos.
-Fazer com que ele se coloque no lugar da vítima e se disponha a pedir desculpas.
-Orientar como lidar com a irritabilidade, insatisfações, valentia abusiva.
-Analisar com ele os tipos de comportamentos agressivos que apresenta e as causas dos mesmos. Se necessário, buscar ajuda de um psicólogo.
-Aulas de artes marciais, judô, caratê e também a capoeira ajudam a canalizar a agresssividade.


Dicas para a vítima de bullying
- Não revide. Não reaja. O revide só torna a intimidação pior e mais duradoura, além do risco de se machucar ou ferir o agressor complicando ainda mais.
- Converse com seus pais ou com um adulto de confiança sobre o que está acontecendo.Tente ficar tranqüilo e não deixar o intimidador perceber que o incomoda.
- Procure não ficar sozinho. Quando perceber o agressor camin hando em sua direção, aproxime-se de alguém e comece a conversar.
- Pratique falar com voz confiante e determinada. Permaneça calmo e diga com firmeza: “ Pare com isso! Me deixe em paz” ( ou algo apropriado para a situação) e saia de perto.
- O valentão quer ferir seus sentimentos. Então, aja como se nada disso o atingisse.
- Peça ajuda a seus pais/professores/amigos para descobrir o que pode ser melhorado em sua maneira de agir para torná-lo mais aceito.
- Defenda outras vítimas de intimidação e peça a elas para defendê-lo também.


Maneiras de desapontar o agressor
- Em resposta às provocações diga continuamente “ E daí?”
- Admita que ele está certo. Ex.“ Estou mesmo gordo. Preciso fazer regime...”
- Desarme-o com humor fazendo graça sobre si mesmo, que se relacione à provocação.
- Seja gentil com o agressor. Sua gentileza pode surpreendê-lo ou confundi-lo.
- Elogie o valentão. Se ele diz que você é baixinho, responda: “Eu sei...Gostaria de ser como você.”
- Tente distrair o bully, começando uma conversa sobre assunto que ele goste de discutir.
Se você está sofrendo bullying, ou tem algum amigo que esteja sofrendo com esse problema, utilize o formulário abaixo para fazer a denúncia.

A Microvip vai lhe ajudar a resolver esse problema, seja entrando em contato com a direção da escola ou com as autoridades responsáveis.

MEUS DADOS
Manter os Meus Dados em sigilo
Este campo é obrigatório
Email inválido
Este campo é obrigatório
DADOS DA VÍTIMA

Informações pessoais

Este campo é obrigatório
Este campo é obrigatório

Escola ou local onde sofre o bullying

Este campo é obrigatório
Este campo é obrigatório
Este campo é obrigatório
Este campo é obrigatório
DADOS ENVIADOS COM SUCESSO

Os dados informados serão enviados à escola ou às autoridades competentes.

Agradecemos por ter colaborado com o nosso projeto!
×